Áudio | Mulher pede pizza para denunciar agressões e soldado entende pedido de socorro

Devido a um treinamento, o oficial identificou a intenção da vítima e mandou uma equipe à residência da mulher; no local os agentes confirmaram as suspeitas

Foto: PixaBay.

A Polícia Civil de Andradina recebeu uma ligação um tanto quanto diferente, na noite da última quinta-feira (27): um pedido de pizza. O chamado foi feito por uma mulher, 54, que sofria agressões do esposo e encontrou esta forma para pedir socorro aos agentes. As informações são do portal UOL. 

Devido a um treinamento, o oficial que atendeu a ligação identificou a intenção da vítima e mandou uma equipe à residência da mulher. No local, os agentes confirmaram as suspeitas. A mulher contou que sofria agressões físicas e psicológicas do esposo, que inclusive chegou a ameaçá-la de morte. 

A vítima disse ainda que o esposo ficou preso por 20 anos e, após sair da cadeia, voltou ao convívio familiar, mas passou a ofender e xingar a mulher. Além disso, ameaçou ainda matar os próprios filhos, caso não conseguisse executar a esposa. 

O suspeito ameaçou a vítima, depois de ela questionar a procedência de uma motocicleta que ele levou para casa. O homem estava desempregado e, por isso, a mulher suspeitou da forma como o esposo adquiriu o veículo. Os agentes verificaram a moto e a recolheram para perícia, após identificarem um registro de furto.

Ouça no áudio abaixo o pedido de socorro da vítima. 

Medida protetiva 

De acordo com o Boletim de Ocorrência, o homem, 57, fugiu após ver a viatura se aproximar da residência. Ele segue desaparecido e, por isso, a Polícia Civil o declarou como foragido, depois de confirmar as agressões contra a esposa e o furto do veículo.

Devido ao desaparecimento do agressor, a vítima solicitou uma medida protetiva, para que o esposo não voltasse mais para casa. Aos agentes ela contou que o pedido de pizza foi a forma que encontrou para solicitar o socorro, devido ao medo de o homem ouvir a ligação. 

Socorro 

Ao Uol, o Centro de Operações Policiais Militares (Copom) contou que o soldado que atendeu a chamada compreendeu o pedido de socorro, pois recebeu treinamento para casos como esse. “”O Copom faz treinamentos periódicos, no mínimo semestrais, e utiliza exemplos do que ocorre em outros locais para orientação do efetivo”, explicou. 

Veja abaixo a transcrição da ligação:

Soldado: “Polícia Militar, emergência.”

Vítima: “Boa noite, tem como vocês entregarem uma pizza, fazendo o favor?”

Soldado: “A senhora está ligando para a Polícia Militar.”

Vítima: “Eu sei. Andradina.”

Soldado: “Qual o seu nome?”

Vítima: “Não.”

Soldado: “Tem alguém armado aí? Faca?”

Vítima: “Mais ou menos. Traz uma pizza de pepperoni.”

Soldado: “Você precisa de socorro médico ou não?”

Vítima: “Não.”

Soldado: “Ok, foi cadastrada a ocorrência.”

Vítima: “Obrigada.”

Nenhuma postagem para exibir