Alternativa à vacina, pílula contra Covid-19 terá pedido de registro no Brasil nas próximas semanas

Paxlovid, pílula contra Covid, foi comprada pelo governo do Canadá e terá registro pedido no Brasil

Reprodução

Aos que se negam vacinar contra a Covid-19, surge um novo caminho: o Paxlovid, tratamento desenvolvido pela Pfizer. Trata-se de uma pílula que reduz 89% o risco de hospitalização ou morte em adultos, considerados de alto risco.

O governo do Canadá já se antecipou e adquiriu um milhão de comprimidos para serem distribuídos à população daquele país. O medicamento teve a aprovação das agências sanitárias reguladoras dos Estados Unidos e do Reino Unido. A Health Canadá, agência responsável pela aprovação da nova droga, ressaltou, entretanto, que o Paxlovid não substitui a vacinação, mesmo que reduza nove, em cada dez casos de hospitalização.

O medicamento deve ser administrado no quinto dia depois do aparecimento dos sintomas, fundamentalmente por pessoas que apresentem um alto risco de desenvolvimento das formas graves da doença. A dose indicada é de três comprimidos, duas vezes ao dia, durante cinco dias. Todo tratamento exige acompanhamento médico necessário.

A Pfizer, por intermédio de seu presidente, em entrevista ao Jornal O Globo, disse que a empresa pedirá o registro à Anvisa nos próximos dias.

Nenhuma postagem para exibir