Acesse também: NOVA BRASIL    TVTHATHI   DIFUSORAFM   79AM

AO VIVO

Rádio 79 AM

RIBEIRÃO PRETO – SP





Nenhum evento encontrado!

HomeBlogPolítica na VeiaSíndrome de Muttley

Síndrome de Muttley

Quem tem mais de quarenta anos, lembra, com certeza, de um desenho animado chamado “Corrida Maluca”. Nele havia um cachorrinho, Muttley, que exigia a todo instante uma medalha aos seus feitos: “medalha, medalha”. A vida imita a arte ou a arte imita a vida? Não sei, só sei que o Presidente Bolsonaro recebeu da Câmara dos Deputados a medalha do Mérito Legislativo, consagrada àqueles que prestaram serviços relevantes ao Poder Legislativo do Brasil. A honra veio de um parlamentar apoiador do Presidente, o Major Vitor Hugo, líder do PSL na Câmara.

CLIMÃO – Ao receber o mérito das mãos do presidente da casa, Arthur Lira, Bolsonaro foi vaiado, denominado “genocida” e, ao mesmo tempo, ovacionado e pela bancada apoiadora, alcunhado de “mito” por todos estes. Entretanto não foram as vaias ou elogios que chamaram a atenção, mas a forma polida e tranquila do Presidente, dando a impressão de um Bolsonaro Paz e Amor. Será orientação marqueteira? Entenderá que quanto menos criar caso, mais benefícios ganha? Quanto tempo ele aguentará as provocações? O que pensam os apoiadores berrantes do Presidente? Estarão satisfeitos ou querem o Bolsonaro de cada dia? Por enquanto ficam as medalhas. É o Muttley em cena, ou será mais uma artimanha do Dick Vigarista? A Corrida Maluca ainda nem começou pra valer.

ATÉ QUE ENFIM – Depois de muito bate-boca, ameaças e conchavos, o presidente da CCJ, Senador Davi Alcolumbre marcou para a próxima semana a sabatina do postulante a uma vaga no STF, André Mendonça, também conhecido como “terrivelmente evangélico”. Foram quatro meses de espera, e o desfecho ocorrerá, segundo o Senador, num esforço concentrado dos membros da comissão.

MOTIVOS – Muito se tem falado sobre os motivos do atraso. Tudo, no entanto, é fruto de especulações, que vão desde a perda do controle das emendas por Davi Alcolumbre, passando por uma tentativa de angariar votos suficientes para a derrubar o nome de Mendonça em favor de Augusto Aras, bem mais “confiável” e um ferrenho opositor à Lava-Jato. Apesar da escolha ter sido do Presidente Bolsonaro, André Mendonça está ligado a Dias Toffoli e pode ser um “perigo” aos interesses de muitos políticos envolvidos até o talo com a justiça.

NOS BASTIDORES – Fala-se também que os filhos de Bolsonaro não gostaram da indicação, que teve a mão direta de Michele Bolsonaro na escolha. A verdade é que vamos ver um filme interessante nos próximos dias, só não sabemos será drama, aventura ou comédia. Podem preparar a pipoca.

- Advertisment -