Acesse também: NOVA BRASIL    TVTHATHI   DIFUSORAFM   79AM

AO VIVO

Rádio 79 AM

RIBEIRÃO PRETO – SP





Nenhum evento encontrado!

HomeBlogParabólicaAos amigos de longe, desculpem

Aos amigos de longe, desculpem

Bolsonaro não é apenas imbecil e mentiroso. É caso perdido de caráter e personalidade. As mentiras que ele acaba de pronunciar na ONU – sem respeitar alguns ilustres e brilhantes antecessores – foi um amontoado de idiotices e canalhices políticas. Bolsonaro mente sem escrúpulos, receios ou limites. Quem o ouviu ainda pela manhã na sede da ONU deve imaginar que vivemos no país de Alice, sem confrontos e sem diferenças. Bolsonaro quebrou nossa patente de Nação e nos (re) transformou em colônia. Somos o resto, a escória miliciana. Um presidente que se recusa a admitir a vitória da Ciência – onde se inclui a cada vez mais eficiente SUS e algumas centenas de brilhantes pesquisadores brasileiros – ele confessa publicamente ser um dos raros (e idiotas) brasileiros a não ser vacinado. Deu-nos o vexame de comer na calçada. 

Insano e irresponsável, esse presidente voltou a defender o indefensável. Saiu em proteção ao tratamento precoce contra a Covid 19, algo totalmente desprezado e já cientificamente comprovado. Pior. Há acusações graves de pacientes que foram feitos cobaias e morreram durante o tratamento. Socorra-se das páginas sociais sobre a CPI da Covid que perambula entre nós. Bolsonaro e seus asseclas comeram nas calçadas nova-iorquinas, bem junto às sarjetas. Foi literalmente proibido de adentrar a bares ou restaurantes, acusado (legitimamente) de ser um raro negacionista de terceiro mundo. O país que ele governou – eleito legitimamente, bom dizer – já contabiliza quase 600 mil mortos pela doença. A mesma que ele tratou como uma ‘gripezinha’ passageira e que se encerraria sem maiores consequências por este mundo tropical.

Não era erro e nem presságio. Bolsonaro foi o ignorante de sempre; o estúpido de toda uma vida e o vilão à serviço de poderosos. Não ganhou as eleições por mero acaso. Sua missão principal era retornar ao passado, se possível invadir cavernas e transformá-las em moradias. Aos ‘pobrinhos’, obviamente. É o que mais sabe fazer, ao lado dos quatro pimpolhos e uma equipe tão retardada quanto inútil. Difícil é entender que 25% dos nossos inglórios eleitores ainda o aclamam como mito. São idiotas bem-criados, nutridos pelo ódio social e alimentados pelo desprezo aos iguais. Bolsonaro os representa com quase perfeição. Seriam confrades em uma mesa descompromissada de interesses e valores político/sociais. Nem sei porque tempo em utilizar o vocábulo correto: são imbecis que mal sabem interpretar. A simples leitura os contenta.

Antes que me esqueça, Bolsonaro anuncia a inexistência de corrupção em seu governo. Discurso feito na ONU. Como se não houvesse ex=mulheres, filhos de diferentes mães e uma história nunca explicada de rachadinhas entre seus melhores pimpolhos. Não quero falar de Lula, o Brasil certamente não merece isso. Mas o que fazem e continuam fazendo os filhos do atual dono do Poder é algo bem próximo do indescritível. Imóveis comprados com dinheiro vivo, mansões nos mais nobres pontos de Brasília e denúncias correspondentes aos casos de cada um. Ainda assim há um quarto de eleitores desse país clamando pelo retorno da Ditadura. Melhor viver plantando alfaces no interior da Bolívia. O Brasil escolheu seu caminho. 

- Advertisment -
José Fernando Chiavenato
Jornalista e escritor