Fernando Hessel, um jornalista brasileiro na Casa Branca nos EUA

O dia que eu me sentir preso ou refém por alguma coisa eu jogo tudo para cima e começo de novo. Não tenho medo; a minha credibilidade é inegociável.” Fernando Hessel

O dia que eu me sentir preso ou refém por alguma coisa eu jogo tudo para cima e começo de novo. Não tenho medo; a minha credibilidade é inegociável.” Fernando Hessel

O mês de junho de 2021 não foi mais o mesmo após a icônica sede do governo americano receber no principal portão de entrada da 1600 Pensilvania Avenue o jornalista brasileiro Fernando Hessel. Dali por diante, a Casa Branca não seria mais a mesma após ter um novo olhar crítico sobre os fatos que acontecem na residência presidencial; e que hoje é ocupada por Joe Biden.

Hessel que não começou na comunicação ontem teve uma longa caminhada até as inúmeras e insistentes mensagens enviadas para os gabinetes de secretários de estado dos EUA; pedindo acesso para acompanhar os passos do presidente americano.

As primeiras tentativas ocorreram na administração do ex-presidente Donald Trump. Foram insondáveis tentativas sem qualquer tipo de resposta. Mas, a insistência e paciência de um monge como Hessel fez com que estas negativas pelo silêncio não desestimulassem o jovem jornalista que também é o fundador e CEO da agência de notícias America24h Corporation.

A brilhante carreira de Fernando Hessel nasce na aviação executiva ao lado do saudoso Comandante Rolim da TAM Linhas Aéreas em 1991; quando o então jovem sonhador tinha apenas 16 anos de idade. O sonho de ser piloto foi colocado de lado após o incentivo dos próprios executivos da companhia aérea que viram o talento do rapaz pela arte da comunicação.

Em 1997, já formado em jornalismo Hessel é contratado como assistente de produção de TV na Rede Bandeirantes de Rádio e Televisão em São Paulo. Começava naquela emissora uma jornada de sucesso recheada por inúmeros desafios pela frente.

Sua qualidade de trabalho e senso crítico aos processos corporativos aceleraram o crescimento dele num dos maiores  grupos de mídia do Brasil. Foi promovido a produtor, repórter, editor e após uma especialização em administração através de um MBA de Novos Negócios, patrocinado pela Band TV, mergulhou no universo da gestão executiva da própria emissora.

Sempre contumaz e inquieto percorreu pelos principais mercados do Brasil negociando planos comerciais com inúmeros governos. Depois do enorme êxito e aprendizado nas relações governamentais foi premiado para implantar a primeira emissora própria do norte do Brasil em Palmas no Tocantins.

“Praticamente ninguém queria estar à frente deste projeto por ele ser implantado numa das capitais mais novas do Brasil. O lugar com menos de 200 mil habitantes não tinha recursos como nos grande centros. O mercado publicitário para TV era quase inexistente.” lembra Hessel que vivia confortavelmente numa metrópole consolidada economicamente.

Hessel com poucos recursos fez da TV BAND numa das emissoras mais conhecidas da região pelo jornalismo crítico e corajoso; realizando eventos expressivos como os debates eleitorais e participações em importantes feiras de agronegócio.

Após oito anos, Fernando Hessel decide deixar 24 anos de empresa para trás criando o próprio portal de notícias e que na sequência mudou-se com a família para os EUA. “Se eu consegui sucesso na maior metrópole brasileira e também na menor capital do país; porque eu não conseguiria fazer isso na nação mais poderosa do mundo?” questiona Hessel durante a entrevista exclusiva ao portal Cartão de Visita.

Nos EUA, ele criou uma extensão da empresa brasileira agora genuinamente americana chamada América24h Corporation; que atende empresas para curadoria em inteligência estratégica de mídia. “Completamos neste mês de julho quatro anos de EUA. Sou o executivo do meu próprio negócio e que através da simples distribuição de lucros desta empresa de único dono consigo morar entre Miami e Washington DC. Os primeiros anos foram bem difíceis, pois aqui ninguém me conhecia quando cheguei. Tive que começar literalmente do zero. Hoje, tenho o enorme prazer de estar na Casa Branca como observador político, mas a minha vida profissional não ficará apenas dentro deste ambiente.” ressalta Hessel que planeja expandir os negócios pelo mundo a partir dos EUA.

“Na Casa Branca eu recebi sinal verde para dar um outro olhar para a cobertura jornalística brasileira. Aqui eu tenho um tipo de liberdade que nenhum outro jornalista tem que é o de rasgar o verbo (sic); e dizer o que penso sem qualquer compromisso comercial ou editorial. As grande empresas te controlam, infelizmente. As pessoas não devem medir você pela roupa que veste, mas pela sua competência e independência. O dia que eu me sentir preso ou refém por alguma coisa; eu jogo tudo para cima e começo tudo de novo. Não tenho medo; e por isso eu não faço barganha com a minha credibilidade.” desafia Hessel.

O polêmico, humilde e inquieto jornalista Fernando Hessel quer fazer dos EUA uma base para alcançar o Oriente Médio e Ásia; e revela que aguarda ansiosamente a análise do pleito do Green Card americano para iniciar este movimento expansionista. “Muitos me acham chato e divertido ao mesmo tempo, mas prefiro muito mais o meu lado crítico; porque é ele que me leva para uma realidade mais verdadeira e estratégica dos negócios.” ironiza Hessel ao Cartão de Visita.

Nenhuma postagem para exibir