Santa Casa de Araçatuba faz a segunda captação de órgãos do ano

O paciente, de 30 anos, teve morte encefálica constatada ontem em decorrência de um traumatismo craniano grave

A Santa Casa de Araçatuba (SP) fez ontem (23) a segunda captação de órgãos deste ano na unidade. O paciente, de 30 anos, teve morte encefálica constatada ontem em decorrência de um traumatismo craniano grave. Informada a Central Nacional de Captação de Órgãos, que regula a fila de pacientes que necessitam de transplantes, foram captados coração, pulmões, fígado, rins e córneas.

Chamou a atenção um detalhe no transporte do coração. Normalmente, são aviões da Força Aérea Brasileira que acabam sendo usados nesse tipo de situação. Mas ontem, como não havia disponibilidade de equipamentos da FAB, a equipe do Incor, de São Paulo, que fez a captação, veio a Araçatuba e retornou com o órgão para a capital paulista em uma aeronave da Polícia Civil. E, na cidade de São Paulo, o translado do aeroporto ao hospital ocorreu em um helicóptero também da Polícia Civil.

O inusitado é que as duas aeronaves foram apreendidas em operações contra o trágico de drogas e incorporadas à frota da Polícia Civil Paulista. Usadas anteriormente para a execução de crimes, agora ajudam a salvar vidas.

A fato acaba sendo um pequeno alento diante de 42% de famílias que se recusaram a doar órgãos de pessoas com morte cerebral em 2021. Os dados são Associação Brasileira de Transplantes de Órgãos. A principal causa da recusa é a desinformação. Em 2021, de acordo com dados da entidade, a fila de espera por uma doação foi de mais de 46 mil pessoas e cerca de 4.200 morreram sem fazer transplante.

Nenhuma postagem para exibir