Médico explica os motivos de crianças apresentarem Síndrome Respiratória Aguda Grave e lotarem os leitos da Pediatria da Santa Casa de Araçatuba

Trata-se de um contingenciamento de urgência que o hospital precisou fazer para atender os casos graves.

Pelo menos 80% dos leitos da Pediatria da Santa Casa de Araçatuba (SP) estáo ocupados por crianças vitimadas por doenças relativas à Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS). Até ontem (25), a Pediatria seguia com 26 pacientes internados, 7 a mais em relação aos 19 leitos que a unidade possui.

Os leitos excedentes foram criados em uma ala anexa. Trata-se de um contingenciamento de urgência que o hospital precisou fazer para atender os casos graves. Outras sete crianças seguem em atendimento no pronto-socorro do hospital aguardando leitos para serem internadas.

O médico coordenador do Serviço de Neonatologia e Pediatria da Santa Casa de Araçatuba, Anderson Azevedo Dutra, explica que fatores sazonais, como, por exemplo, a queda da temperatura, não são a única causa da SARS nas crianças, principalmente as de faixas etárias mais baixas.

Dutra explica que o período de isolamento social ocorrido para enfrentamento da pandemia do coronavírus provocou o que é descrito pela literatura médica como salto geracional.  “As gerações dos últimos dois últimos infelizmente não estão preparadas adequadamente sob o ponto de vista imunológico”.

Nenhuma postagem para exibir