Pré-candidata Dora Cavalcanti lança campanha #VotaOABSP

Em Araçatuba, 48% não votaram na eleição de 2018

A advogada Dora Cavalcanti, pré-candidata à Presidência da OAB-SP Foto: Divulgação

No dia 25 de novembro, 350 mil advogadas e advogados deverão eleger a nova diretoria da OAB-SP. O pleito tem o desafio de superar o alto índice de abstenção registrado em 2018, de 44,58%. Em Araçatuba o número é ainda maior: 48% não compareceram às urnas para escolher seus representantes para os três anos seguintes. Dos votos válidos no município, expressivos 7% foram brancos ou nulos.

A advogada Dora Cavalcanti, pré-candidata à Presidência da OAB-SP, ressalta que, se já havia pouco estímulo à advocacia paulista em participar das eleições da OAB antes da pandemia, agora a situação se agravará se nada for feito.

Para sensibilizar a classe sobre a importância do voto para a representatividade na Ordem, ela lançou a campanha #votaoabsp. O movimento tem o objetivo de ressaltar a importância da entidade como um dos alicerces da democracia no Brasil.

Pela primeira vez na história, a seccional paulista terá uma chapa com duas mulheres. Dora tem como vice Lazara Carvalho, que foi vice-presidente da Comissão de Igualdade Racial e é cofundadora do Movimento Elo – Incluir e Transformar, formado de uma dissidência da atual gestão da OAB-SP. 

A união de Dora e Lazara representa uma proposta inovadora ao promover a representatividade feminina e negra em espaços de poder da OAB-SP Foto: Divulgação

Força feminina  

Em dezembro do ano passado, o Conselho Federal da OAB implementou a paridade de gênero, com a destinação de 50% dos cargos às mulheres e a reserva mínima de 30% dos cargos para negros, em todas as chapas.

“Temos questões muito sérias de mercado de trabalho para enfrentar, e o que temos colhido dessas rodadas com a Kombi pelo Estado é que a advocacia está desencantada com a OAB-SP. Muitos dizem ‘olha eu pago anuidade, mas a OAB não traz um significado para mim’. Por isso lançamos o desafio #VotaOABSP. Não estamos discutindo em quem vai votar neste momento, mas que venha participar, votar. Não podemos ter uma classe que renunciou a uma entidade que sempre foi alicerce para o funcionamento das instituições democráticas”, avalia Dora Cavalcanti.

Mais informações: https://aoabtaon.com.br

Nenhuma postagem para exibir