Secretário da Educação denuncia fraude no cadastramento da vacinação

Em uma publicação nas Redes Sociais Miguel afirma que há “pessoas se passando por outras, pessoas que não são da educação e até um caso de pessoa tomando 3 doses”

Felipe Elias Miguel, Secretário da Educação de Ribeirão Preto

O Secretário da Educação de Ribeirão Preto, Felipe Elias Miguel, denunciou, nas redes sociais tentativas de burlar o cadastramento da vacinação. Segundo a publicação, houve casos de falsidade ideológica, como pessoas se passando por outras; fraude no cadastro e também um caso de pessoa que se inscreveu para tomar três doses da vacina. A administração investiga o caso.

No texto, escrito em um grupo no Facebook Miguel afirma que há “pessoas se passando por outras, pessoas que não são da educação e até um caso de pessoa tomando 3 doses. O esforço é enorme para filtrar pessoas de caráter duvidoso, infelizmente é a realidade”.

O chefe da pasta, nas postagens, usa os verbos no afirmativo, embora não indique sujeitos específicos. Conforme o Código Penal, se passar por outra pessoa é crime de falsidade ideológica, podendo levar a prisão de até cinco anos.

Além disso, o ato de furar a fila da vacina pode configurar crime de infringir norma do poder público para propagação de doença contagiosa, podendo levar a prisão de até um ano.

Em entrevista ao portal Thathi, Elias usou a linguagem no campo das possibilidades afirmando que, “possivelmente uma pessoa tomou as duas doses no grupo comorbidades e em seguida uma com os profissionais da educação”. Além disso, afirmou que o caso será apurado.

Quanto às falsidades ideológicas lembrou o episódio em que homens se passaram por grávidas para tentarem se imunizar.

A reportagem entrou em contato com a Prefeitura, mas não obteve resposta até a publicação da matéria.

Nenhuma postagem para exibir