Scarpelini prestou consultoria a empresa que alugou ambulância à prefeitura

Então mulher do secretário da Saúde também era sócia da empresa; secretário não vê problemas

Secretário da Saúde, Sandro Scarpelini - Foto: Divulgação

O secretário da Saúde de Ribeirão Preto, Sandro Scarpelini, confirmou que prestou consultoria à empresa SOS Assistência Familiar, escolhida sem licitação pela prefeitura para fornecer serviços de aluguel de ambulâncias no que passou a ser conhecido como “farra das ambulâncias”. Ainda segundo o secretário, a então mulher dele foi, inclusive, sócia da empresa no ano de 2003.

“Minha esposa era sócia dessa empresa e eu, como especialista em emergência e urgência, dei assessoria para essa empresa”, disse o secretário que, na sequência informou que está separado da mulher há 12 anos.

A informação, divulgada com exclusividade no programa Interação foi repassada à Polícia Federal pelo empresário José Renato Cabrera, que denunciou um suposto esquema de direcionamento na dispensa de licitação e foi ouvido pela PF nesta terça-feira (12). “Eles trocaram e-mails durante o fim de semana, a funcionária conversou com o dono da empresa vencedora por Whatsapp”, disse empresário, que apresentou provas da comunicação.

Scarpelini fez questão de ressaltar que não tem atualmente qualquer vínculo com a empresa, mas que conhece o dono da SOS, Anibal Carneiro. “Depois disso [da consultoria], eu fui fazer meu pós-doutorado no Canadá (…) hoje não tenho qualquer vínculo com a empresa, mas (…) conheço o dono há muito tempo”, ressaltou.

Tranquilidade

Scarpelini ressaltou que tem “toda a tranquilidade” sobre a lisura do processo e que tem uma ampla rede de relacionamentos na área da saúde, incluindo a área de transporte de pacientes. “Tenho muito relacionamento. Fundei o Samu nessa cidade. Para muitos desses médicos donos de empresa, eu dei aula. Ajudei a formar as empresas”, disse.

Para o secretário, o fato de o dono da SOS Assistência ter feito campanha para o prefeito Duarte Nogueira também não representa um problema. “Ficam querendo associar ao prefeito, pelo empresário ter feito campanha (…) A maior parte das empresas são de Ribeirão. Se quem fez campanha para um ou para outro não puder prestar serviço para a Secretaria da Saúde, vai paralisar tudo”, disse Scarpelini

Nogueira

Nesta segunda-feira (11), a PF realizou busca e apreensão de documentos na Secretaria de Administração, na empresa vencedora da licitação, a SOS Assistência Familiar, e a na casa de um dos sócios, apontado como cabo eleitoral e amigo do prefeito Duarte Nogueira (PSDB).

O prefeito também comentou o assunto e informou não temer as investigações. “Não tenho o menor problema com a questão da transparência (…) estou muito seguro (…) durante os quatro anos do meu governo, não só não vai haver corrupção como qualquer investigação de página policial servirá como atestado de idoneidade para o meu governo”, disse.

Analise

Para o advogado Gustavo Bugalho, especialista em direito eleitoral e administrativo, a situação pode ferir um dos princípios basilares dos contratos com o poder público. “Esse fato torna a situação mais estranha e permite colocar em dúvida se foi seguido o principio da impessoalidade. Mesmo uma contratação direta deve garantir que haja um benefício para a administração”, declarou o especialista.