Ribeirão receberá verba milionária para combater desperdício de água

Segundo a prefeitura, cidade contará com recursos de R$ 115,46 milhões para investimentos no setor; hoje, desperdício chega a 56% da água captada.

Operários do Daerp trabalham em obra - Foto: Divulgação.

Ribeirão Preto é uma das sete cidades do Estado de São Paulo e uma das 39 do país contempladas pelo Ministério das Cidades com investimentos para ações de redução e controle de perdas de água. A cidade contará com recursos de R$ 115,46 milhões para esse destino. Hoje, a cidade desperdiça, seja por falhas na rede ou desvio, cerca de 56% da água captada.

O projeto de setorização proposto pela Prefeitura garantirá a redução de perdas da água produzida nos 116 poços em operação. Com a implantação da setorização, todo o sistema de abastecimento será feito dos poços para os reservatórios e dos reservatórios para as redes de abastecimento. Isso permitirá a redução de vazamentos e uma distribuição eficiente. Para tanto, serão construídos 10 novos poços, 17 reservatórios com capacidade total de 23 milhões de litros de água, 68 quilômetros de redes adutoras e de distribuição, além da implantação de válvulas de corte para a criação dos setores de abastecimento.

A expectativa é que a percentagem de desperdício seja diminuída para 30%. “A universalização do sistema de saneamento básico em Ribeirão Preto levará a cidade a ser a primeira do país no ranking do saneamento, a partir de 2020”, afirma o prefeito Duarte Nogueira. 

Dados

De acordo com o ranking apresentado pela Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (Abes) até 2019, Ribeirão Preto encontra-se em 13º lugar entre os 39 municípios de grande porte com melhor saneamento básico no país. O levantamento foi realizado em cidades com mais de 100 mil habitantes, na categoria “Rumo à universalização”.

A média geral do Brasil foi de 496,05 pontos, ou seja, Ribeirão Preto obteve um resultado superior ao dos outros municípios, alcançando um total de 497,40 pontos (abastecimento de água: 99,40, coleta de esgoto: 98,00, tratamento de esgoto: 100,00, coleta de resíduos sólidos: 100,00 e destinação adequada de resíduos sólidos: 100,00).