Moradores de comunidades protestam em frente ao Palácio Rio Branco

A luta é contra a falta de moradias, contra decisões de reintegração de posse e a falta de diálogo com a prefeitura

Pelo segundo dia seguido, o Palácio Rio Branco é palco de manifestação. Nesta terça-feira (01), quem faz o manifesto são os moradores de diversas comunidades de Ribeirão Preto que pedem a reintegração de posse.

A luta é contra a falta de moradias, contra decisões de reintegração de posse e a falta de diálogo com a prefeitura. Aos gritos de “Nogueira cade você, eu vim aqui só pra te ver”, moradores de diversas comunidades ocuparam as escadarias. 

Segundo os participantes do manifesto, uma reunião foi marcada para hoje de manhã com as lideranças. 

Em nota, a Prefeitura afirma que não havia reunião agendada com o prefeito sobre assuntos referentes à reintegração de posse, pois já tinha uma viagem marcada para São Paulo. E diz que a Secretaria de Planejamento é quem tem tratado sobre reintegração de áreas ocupadas irregularmente.

A administração esclarece que existem áreas em que os moradores não podem permanecer por serem considerados locais de risco ou preservação ambiental, em que a legislação não permite moradia. Informa ainda que os moradores só sairão dos locais quando houver alguma alternativa para deslocar, porém, a regra não se aplica em ocupações recentes que exista decisão judicial para que ocorra a reintegração.

O Secretário de Planejamento, Edsom Ortega, se colocou à disposição para receber os moradores e ouvir as reivindicações. 

A Guarda Civil e a Polícia Militar acompanharam a passeata que foi feita pelas ruas do centro de Ribeirão. A manifestação foi pacífica, com muitas crianças e os moradores prometeram acampar em frente ao Palácio Rio Branco até que o prefeito ou alguém da administração fale com eles.

A reportagem do Grupo Thathi tentou contato com uma das lideranças mas não houve resposta ainda.