Fechada há um ano e dez meses, UBS do Quintino I tem obras paralisadas após calote a funcionários

Obra deveria ser entregue em fevereiro deste ano, mas entrega foi adiada; caso será analisado pelo Jurídico da prefeitura

Unidade de Saúde do Quintino I - Foto: Divulgação

Os funcionários que trabalhavam nas obras de reforma da Unidade Básica de Saúde (UBS) Zeferino Vaz, no bairro Quintino I, paralisaram as atividades nesta quinta-feira (26) por falta de pagamento de salários. Segundo os operários, os meses de agosto e setembro não foram pagos pela empresa responsável pelas obras. A Secretaria da Saúde confirmou a paralisação das obras, mas ressaltou que os repasses para a construtora estão em dia e que a questão foi encaminhada para a Secretaria de Negócios Jurídicos. A UBS Zeferino Vaz está fechada há um ano e dez meses para reforma.

Os funcionários foram comunicados por um engenheiro da empresa que a Fanor Construtora e Incorporadora teve todos os bens bloqueados pela Justiça e não há previsão sobre o pagamento dos salários atrasados. Os empregados temem serem dispensados sem receber nada.

Arnaldo Máximo Barreto é um desses funcionários. Começou a trabalhar em 1º de abril e está há 56 dias sem receber. Ele afirma que, na mesma situação, estão sete funcionários. “Estávamos trabalhando normalmente hoje. Carregamos as ferramentas e, depois que fizemos, nos avisaram que o dinheiro foi bloqueado. Não recebemos nada e só disseram pra esperar”, disse.

A reportagem do Grupo Thathi entrou em contato com a Fanor. Uma pessoa que se identificou como Evandro, e afirmou que é o pai do dono da empresa, confirmou que a situação financeira se complicou por causa do bloqueio na Justiça, mas negou a dispensa imediata de funcionários. Essa mesma pessoa afirmou que apenas os salários de setembro estão atrasados. Pedimos para falar com o dono da empresa, mas foi informado que ele não estaria no local.

Outro Lado

Num primeiro momento, a assessoria de imprensa da Secretaria da Saúde informou que a prefeitura não tinha conhecimento dos problemas enfrentados pela empresa e nem sobre a paralisação das obras.

Depois, a prefeitura informou que os repasses à empresa estão em dia, sendo o último feito em 19 de setembro. O problema, segundo a administração, é no  repasse da empresa para os trabalhadores. A administração esclareceu ainda que recebeu a confirmação sobre o bloqueio de todos os bens da Fanor, inclusive os valores pagos pela prefeitura pelo serviço, devido a uma ação judicial na cidade de Olímpia e que irá aguardar a orientação do departamento jurídico para determinar o que irá ser feito sobre o caso.

Reforma

Fechada em novembro de 2017, há quase dois anos para reforma, a obra deveria ter sido entregue em fevereiro deste ano. O prazo foi prorrogado para novembro e recentemente ficou para fevereiro de 2020. O custo da obra é de R$ 895 mil.

O projeto inicial previa aumentar a UBS de 380 para 800 metros quadrados. A nova estrutura deve contar com farmácia, salas de pré-consulta, inalação, curativos, vacinas, coleta e raio x, além de banheiros adaptados. As áreas de espera também devem ser ampliadas.

Até que a obra seja finalizada, as consultas de pediatria, ginecologia e clínica médica e a coleta de exames estão sendo realizadas na UBS do bairro Vila Mariana, que fica a dois quilômetros da UBS Zeferino Vaz. Já os atendimentos odontológicos foram remanejados à UBDS do Quintino Facci II, que fica a quatro quilômetros do posto de saúde.

Nenhuma postagem para exibir