Entidade que atende autistas tem que processar a Transerp para conseguir intervenções no trânsito

Associação de Amigos do Autista solicitou o serviço em maio, mas não teve resposta

AMA pede regularização do trânsito em sua nova sede desde maio - foto: Eder Martins

A Associação de Amigos do Autista teve que recorrer à Justiça para que a Transerp, empresa de economia mista responsável pelo trânsito de Ribeirão Preto, faça a regulamentação do trânsito no entorno de sua nova sede, localizada no bairro Jardim Sumaré.

A entidade pede a implantação de redutores de velocidade, implementação de faixa de travessia de pedestres sinalizando área escolar, a colocação de placas de proibido estacionar em frente ao prédio, implantação de semáforo para pedestres, inclusive com sinal sonoro em cumprimento à acessibilidade para pessoas com deficiência e lombadas.

O pedido foi feito de forma oficial no início de maio e, depois do prazo legal de 30 dias, nenhuma resposta foi dada pela Transerp. A entidade ingressou com uma ação judicial e conseguiu uma liminar, que obriga a execução dos serviços em cinco dias, sob pena de uma multa de R$ 1 mil por dia.

Em nota ao Grupo Thathi, a Transerp não explicou o motivo da demora, mas informou que já inseriu em sua programação para esta semana, a execução do serviço de implantação de sinalização no endereço da referida entidade.

Nenhuma postagem para exibir