Empresa diz que Prefeitura de Ribeirão não paga limpeza de banheiros há quatro meses

Medida afeta banheiros de praças e parques da cidade; a dívida chega a 460 mil reais

Banheiro da Praça das Bandeiras fechado - Foto: Correa Júnior

A empresa contratada para prestação serviços de limpeza dos banheiros das Praças XV de Novembro e Praça das Bandeiras está com os pagamentos atrasados há quatro meses. A Precisa Serviços Terceirizados é de Ribeirão Preto e presta serviços à prefeitura desde 2014. O contrato para a limpeza dos banheiros foi assinado em maio de 2018.

Continua depois da publicidade

De acordo com informações passadas por uma pessoa ligada à empresa, alguns atrasos pontuais no pagamento da prefeitura já aconteceram, mas nunca demorou como agora. Já são quatro meses sem receber da administração e a dívida chega a 460 mil reais. Nesse período, a Precisa assumiu o pagamento dos 23 trabalhadores desse setor, mesmo sem receber da prefeitura.

Na última sexta-feira (15), inconformada com a falta de uma posição da prefeitura sobre o atraso, a empresa decidiu suspender os serviços de limpeza nos banheiros públicos. Além das Praças XV e das Bandeiras, a medida afeta também os banheiros dos Parques Maurílio Biagi, Tom Jobim, Roberto Jábali, Luis Carlos Raya e o Parque das Artes.

A empresa também presta serviços para a Câmara, a Coderp e a USP e garante que nunca teve problemas nessas instituições. Por telefone, o presidente da Amec (Associação dos Amigos, Moradores e Empresários do Centro), Marcos Zeri Ferreira, recebeu com surpresa a notícia sobre a falta de serviço de limpeza e o fechamento dos banheiros nas praças centrais da cidade.

Na opinião de Ferreira, “a cidade não é feita somente para uma elite. As pessoas mais simples precisam de banheiros públicos nas praças do centro e de outros bairros. A população tem que cobrar os poderes públicos sobre isso”.

A reportagem do Grupo Thathi entrou em contato com a Precisa Serviços Terceirizados para confirmar as informações obtidas, mas por enquanto a empresa não pretende se manifestar oficialmente. Também questionamos a prefeitura sobre o atraso nos pagamentos e que medidas serão tomadas para que os banheiros voltem a funcionar, mas até o momento não houve resposta.