Contra Covid, Doria restringe circulação e impõe toque de recolher

Medida entra em vigor nesta sexta (26) sob recomendação do Centro de Contingência do coronavírus após recorde de internações em UTI e vale até  14 de março

Governador de São Paulo, João Doria. Foto: Valter Campanato

Por causa do grande número de pacientes internados em unidades de terapia intensiva (UTIs) destinadas à covid-19, que chegou a bater recorde esta semana, o estado de São Paulo vai restringir a circulação das 23h às 5h, diariamente. O objetivo é diminuir a propagação do coronavírus.

A medida entra em vigor a partir desta sexta-feira (26) e vai até o dia 14 de março. Ela é válida para todos os 645 municípios do estado. Caso julgue necessário, cada prefeito poderá intensificar as medidas, restringindo ainda mais a circulação das pessoas. Na prática, o Governo do Estado vai endurecer a fiscalização contra aglomerações em qualquer horário e eventos ilegais ou proibidos aos finais de noite e madrugadas.

“A restrição estabelecida é fundamentalmente para evitar eventos e situações onde pessoas participam de aglomerações desnecessárias, multiplicam a contaminação e ampliam a possibilidade de óbitos”, declarou o Governador João Doria. “Hoje, nós estamos pagando um preço caro. Vidas se perderam e estão sendo perdidas em função de aglomerações”, acrescentou.

Uma força-tarefa, formada pela Polícia Militar, Procon e vigilâncias sanitárias, ficará responsável pela fiscalização, com blitze sendo feitas em alguns locais do estado. A população também pode denunciar violações a essa medida e avisar sobre festas clandestinas pelo telefone 0800-771-3541, que é gratuito. Multas poderão ser aplicadas para quem infringir a determinação.

Sem essas ações, o Centro de Contingência estima que, em 22 dias, o estado de São Paulo teria um esgotamento de leitos de UTI para tratamento de pacientes de covid-19.

Aumento nos casos

Na última segunda-feira (22), o estado de São Paulo bateu recorde de casos de covid-19. Nessa data, atingiu-se o maior número de pessoas internadas em UTIs destinadas à doença desde o início da pandemia, com um total de 6.410 pessoas internadas em estado grave.

Até então, o número mais alto de ocupação de leitos de UTI havia sido 6.257, número alcançado em julho do ano passado. Hoje, pelo terceiro dia consecutivo, o estado atingiu mais um recorde, com 6.657 pessoas internadas em estado grave no estado. Já há cidades no interior que estão com 100% de ocupação dos leitos para covid-19, sem capacidade para atender mais nenhum doente.

“Na última semana estamos observando aumento importante no número de novas internações no estado de São Paulo”, disse o coordenador do Centro de Contingência do Coronavírus em São Paulo, Paulo Menezes. Segundo ele, a média móvel de novas internações cresceu cerca de 10% essa semana em relação à semana anterior e tem batido recordes sucessivos nos últimos dez dias. Isso se deve, em parte, diz o Centro de Contingência, pelas variantes do novo coronavírus que já estão circulando em todo o estado.

“É muito preocupante o que está ocorrendo, e as medidas que estamos tomando são totalmente necessárias para o enfrentamento da pandemia”, disse João Gabbardo, coordenador executivo do Centro de Contingência do Coronavírus em São Paulo.

Nenhuma postagem para exibir