Chefe da Vigilância Sanitária participa de festança e acaba exonerado do cargo

Profssional foi à celebração do casamento do irmão; caso ocorreu em Franca

Alexandre Ferreira, prefeito de Franca - Foto: Divulgação
Continua depois da publicidade

O chefe da Vigilância Sanitária de Franca foi exonerado, nesta terça-feira (16), depois de participar da festa de casamento do seu irmão, realizada na noite de segunda-feira (15). A denúncia partiu de um grupo de profissionais de eventos, que reclamam das restrições impostas pelo Plano São Paulo.

A festa era a celebração do casamento de Marcos Granzotti, irmão do Chefe da Vigilância Sanitária de Franca, Felipe Granzzoti. Ambos tinham cargos comissionados na prefeitura de Franca e foram exonerados pelo Alexandre Ferreira (MDB). Vale lembrar que Granzotti era o responsável por fiscalizar aglomerações e o cumprimento das regras de quarentena na cidade. Em seu lugar, foi nomeado Caio César Corgosinho de Carvalho.

O grupo que fez a denúncia chegou a usar drone para registrar o caso. As imagens da festa foram transmitidas em tempo real pela rede mundial de computadores. Quem promoveu a transmissão da denúncia foi Erismar Tanja, que tem uma empresa de celebração de casamentos. Com ele estavam mais quatro profissionais do setor.

“Estamos ao vivo, agora. Às 9h50 (da noite) começamos a denunciar. Zap Covid não veio, tivemos a informação que não viriam. Mandei direto para o prefeito, que encaminhou para o chefe da Vigilância, que é o irmão dele que está casando. Vamos deixar um negócio claro, não vamos falar sobre o profissional de eventos, vamos falar que não pode ter dois pesos e duas medidas. A gente não é contra, mas somos contra a atitude”, disse Erismar Tanja.

Festança

O local onde houve a festa fica na divisa entre Franca e Cristais Paulista. Há chácaras em ambos os municípios. Em Cristais Paulista, o grupo não chegou a fazer denúncia para que houvesse fiscalização. Essa informação foi confirmada pela assessoria de imprensa do Executivo de Cristais Paulista.

Conforme apurado, na Prefeitura houve comunicação interna e possibilidade do servidor justificar-se, o que não ocorreu. Tanto Franca como Cristais Paulista estão na fase vermelha do Plano São Paulo e eventos públicos e particulares estão proibidos.

A reportagem não conseguiu contato com os envolvidos para que eles comentassem o caso.

Nenhuma postagem para exibir