Assinado contrato de R$ 35,4 mi pelo Daerp para implantação de 65 km de adutoras

As obras fazem parte do Plano de Gestão, Controle e Redução de Perdas de Água e Eficiência Energética da autarquia

Operários do Daerp trabalham em obra - Foto: Divulgação.

O prefeito de Ribeirão Preto, Duarte Nogueira, e o superintendente do Daerp, Afonso Reis Duarte assinaram na tarde desta sexta-feira, 24, o contrato de R$ 35,4 milhões, com a OAS Engenharia e Construção S/A, empresa vencedora da licitação, para a implantação de 65 km de redes adutoras e a implantação de 256 válvulas de fechamento de setor. A obra integra o Programa de Gestão, Controle e Redução de Perdas de Água e Eficiência Energética do Daerp.

A solenidade de assinatura do contrato ocorreu no Salão Nobre do Palácio Rio Branco com a presença, por videoconferência, do gerente do contrato pela OAS, engenheiro Diego Tabet, e do engenheiro Renato Matos, diretor superintendente da OAS. O prazo de execução é de 19 meses.

O valor final da licitação ficou 35,84% menor do que o valor previsto em edital, de R$ 55,3 milhões. Nove empresas participaram da licitação. A obra será executada com recursos de financiamento do Governo Federal, com contrapartida do Daerp no valor de R$ 121,7 milhões. Ao todo, estão sendo investidos R$ 152,3 milhões no programa de redução de perdas, com parte das obras em andamento.

Na oportunidade, o superintendente Afonso Reis Duarte destacou o trabalho desenvolvido pela diretoria e servidores para modernizar a empresa e os investimentos feitos nestes quatro anos. “Tirar o Daerp do sistema analógico em que o encontramos para um sistema digital não está sendo fácil. Temos trabalhado muito para redução das perdas, que passaram de 61,48% em 2016 para 53% em 2019 e, até o final de 2021, deverão estar entre 25 e 30%. Investimos cerca de R$ 270 milhões que nos coloca em uma situação de universalização do saneamento público, à frente de muitas capitais”, afirmou.

O prefeito Duarte Nogueira encerrou a solenidade destacando o trabalho desenvolvido pela autarquia nos últimos quatro anos e a transformação que a cidade está conquistando na área de saneamento. “Tiramos o Daerp das páginas policiais, envolvido em escândalos de corrupção, para ser reconhecido nacionalmente pelo trabalho que vem sendo desenvolvido. Os investimentos de mais de R$ 150 milhões na redução de perdas coroam o trabalho iniciado com implantação de 97,2 quilômetros de redes e emissários de esgoto, com investimento de R$ 137,7 milhões, e que garantiram a universalização da coleta e tratamento de esgoto e do fornecimento de água em Ribeirão Preto”, concluiu.

Recursos

A primeira proposta solicitando o financiamento foi encaminhada em maio de 2018, para o então Ministério das Cidades. Ainda em 2018 foi feita a apresentação técnica presencial do projeto no Ministério das Cidades, e no final daquele ano obteve a aprovação, mas, com a transição do governo Temer para o governo Bolsonaro, o projeto precisou ser reapresentado em 2019, já no Ministério de Desenvolvimento Regional.

O projeto foi novamente aprovado, mas, por conta de recursos orçamentários e tramitações na Secretaria de Tesouro Nacional, somente em 20 de março de 2020 foi assinado o contrato com a Caixa Econômica Federal, para a liberação dos recursos. Em seguida em 24 de março foi publicada a primeira licitação para a execução dos 65 quilômetros de adutoras.

Obras

A obra de implantação de 65 quilômetros de adutoras e 250 válvulas de fechamento de setores faz parte do programa de Gestão, Controle e Redução de Perdas de Água e Eficiência Energética do Daerp, para a implantação dos 56 setores de abastecimento previstos no projeto.

Além desta obra, estão previstas a construção de 17 reservatórios, com capacidade total de armazenamento de 23,3 milhões de litros de água, bem como a recuperação de nove poços e a perfuração de um novo.

Também está projetado a implantação dos Distritos de Medição e Controle (DMCs), com investimento de R$ 2,8 milhões, implantação do Centro de Controle Operacional (CCO), no valor de R$ 8,9 milhões e a implantação do programa caça-fraudes, com previsão de investimento de R$ 4,5 milhões.

Está planejada ainda a contratação de empresa para a realização de pesquisa e reparos de vazamentos não-visíveis, com valor estimado em R$ 7 milhões, que está previsto no Programa de Redução de Perdas, com licitação já em andamento e com conclusão marcada para o próximo dia 27 de julho.

Todos estes projetos serão implantados com recursos de R$ 121,7 milhões, sendo R$ 115,4 milhões do Governo Federal, através da Caixa Econômica Federal, e a contrapartida de R$ 6,3 milhões do Daerp.

Obras em andamento

Além destes R$ 121,7 milhões, o Daerp já está investindo R$ 29,1 milhões em obras e equipamentos que estão previstos no Programa de Gestão, Controle e Redução das Perdas de Água e Eficiência Energética do Daerp.

São R$ 12,2 milhões na substituição de 46,6 quilômetros de redes antigas nos Campos Elíseos, Jardins Macedo, São Luís e Recreio. Foram investidos R$ 11,3 milhões na compra e substituição de 132 mil hidrômetros que estão com mais de 5 anos de uso, parados ou quebrados, com o objetivo de reduzir as perdas no sistema por submedição.

Está em execução a construção de cinco reservatórios com capacidade total de 6,8 milhões de litros de água que beneficiará as regiões do Jardim Heitor Rigon, Ribeirânia e Parque São Sebastião, com investimentos de R$ 6,1 milhões. São dois reservatórios na Ribeirânia; um elevado, para 300 mil litros, e um apoiado, para 2 milhões de litros. No Heitor Rigon também serão dois; elevado para 500 mil litros e apoiado para 2 milhões de litros. A Ribeirânia terá um reservatório apoiado com capacidade para 2 milhões de litros.