Ambulâncias: Sócios da empresa SOS não comparecem em oitiva da CPI

Documento enviado pelo advogado dos sócios justificou o não comparecimento à oitiva

Foto: Allan S. Ribeiro

Na manhã de ontem, terça-feira (14), a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), cujo objetivo é apurar a dispensa de licitação na locação de ambulâncias para a Secretaria Municipal de Saúde, Programa de Assistência Médica Emergencial (SAMU), pelo valor de R$ 1,1 milhão de reais, se reuniu de forma remota, através de videoconferência, para ouvir os sócios proprietários da SOS Assistência Médica Familiar, Aníbal Carneiro e Iara Mengel.

O presidente da CPI, Orlando Pesoti (PDT), leu documento encaminhado pelos advogados dos sócios, alegando que os mesmos não foram notificados pessoalmente, declarando então a impossibilidade de se apresentarem para depor perante os membros da CPI.

Nas justificativas do advogado, Aníbal sofreu um acidente domiciliar ocorrido no dia anterior, encaminhando alguns exames realizados, todos com diagnósticos de normalidade. Também foi exposto que não haveria tempo hábil para reunir com advogados, bem como selecionar documentos na forma como requisitado.

Quanto a sócia Iara, declararam que a mesma sofre de transtornos psicológicos, dentre eles sintomas de pânico e depressão profunda, possuindo restrições médicas para a realização da oitiva. Porém nenhum atestado médico foi apresentado, comprometendo-se a apresenta-lo durante a próxima data definida para a oitiva.

Os vereadores deliberaram para que a oitiva fosse remarcada para a próxima terça-feira, 21 de julho, às 09 horas.

Participaram da oitiva, além do presidente da CPI, Orlando Pesoti (PDT), os membros Alessandro Maraca (MDB), Marinho Sampaio (MDB) e Paulo Modas (PSL), e os vereadores Elizeu Rocha (Progressistas) e Rodrigo Simões (PSDB).

Nenhuma postagem para exibir